Sinergias Nº13

Janeiro, 2022

(Re)ler os desafios societais à luz do pensamento freiriano – passado, presente e futuro(s)

DOWNLOAD .PDF

Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo; se não é possível mudá-lo sem um certo sonho ou projeto de mundo, devo usar toda possibilidade que tenha para não apenas falar de minha utopia, mas para participar de práticas com ela coerentes. Me parece fundamental sublinhar, no horizonte da compreensão que tenho do ser humano como presença no mundo, que mulheres e homens somos muito mais do que seres adaptáveis às condições objetivas em que nos achamos (Freire, P. 2000:33).

Celebra-se este ano o centenário do nascimento de Paulo Freire, um dos pedagogos que mais tem inspirado educadores e educadoras por todo o mundo. A afirmação de que toda a educação é política e de que os processos educativos não devem perder de vista os contextos em que as pessoas vivem, foram dois postulados fundamentais de Paulo Freire. Deste modo, chamou para a educação a reivindicação da transformação social, sempre com o envolvimento daqueles e daquelas que são os e as protagonistas das suas próprias realidades. O desenvolvimento da capacidade e atitude crítica através da educação, a qual nos permite refletir e agir sobre o nosso próprio mundo, é uma das heranças de Paulo Freire que temos procurado pôr em prática através da revista Sinergias.

Neste número da revista Sinergias, queremos celebrar Paulo Freire, o seu legado e as aprendizagens que continuam até hoje a inspirar educadores e educadoras de todo o mundo, com um compromisso com a Educação para o Desenvolvimento, a Educação para a Cidadania Global e/ou a Educação para a Transformação Social.

Este número 13 da revista torna evidente que (re)ler Paulo Freire é estabelecer diálogos, sempre novos, com as problemáticas do mundo de hoje. Negar a desproblematização do futuro, é prescindir do sonho, da utopia e da esperança… O futuro não nos faz, somos nós que nos refazemos na luta para transformá-lo [1].

Celebremos! E que nesta celebração sejamos, também, expressão viva de Paulo Freire: “Que a leitura do mundo preceda [sempre] a leitura da palavra” (p.9) [2].

Procurámos receber contributos individuais e/ou coletivos, com características e configurações distintas, desde artigos resultantes de trabalhos de investigação a reflexões teóricas ou relatos sobre práticas ou experiências que, de algum modo, refletissem os contributos da pedagogia freiriana para a educação na atualidade.

O Caderno Temático deste número abre com o artigo Freire: O/Um educador social rebelde de Ivaneide Mendes, no qual se reflete sobre os princípios de uma educação que se quer política, ética e estética, que promove novas relações sociais e que tem como fundamento capacitar os sujeitos para a criação de alternativas às realidades socialmente injustas. Neste caminho, a autora revisita conceitos-chave da obra de Freire que norteiam a formação de educadores/as sociais.

No artigo de Andrea Bullivant, From Freire’s Theory to Knowing Practice, é explorada a relação entre o pensamento de Paulo Freire, a Educação para o Desenvolvimento e Aprendizagem Global e a teorização da prática, apoiando-se na investigação e na perspetiva da prática desenvolvida pelos Centros de Educação para o Desenvolvimento e Aprendizagem Global em Inglaterra. Destaca-se, ao longo do artigo, a reflexão sobre a relação entre a teoria e a prática, a forma como os/as profissionais traduzem as ideias de Freire na e através da prática.

Giannis S. Efthymiou e Maayke de Vries, apresentam-nos o artigo Teachers reflecting on teaching global issues: “Because I’m also part of the problem”. Com este artigo pretendem advogar o papel dos/as professores/as enquanto agentes de mudança, apresentando um estudo piloto no qual, através de uma metodologia de investigação-ação/participação, se acede às conceções dos/as professores/as sobre a aprendizagem da transformação social num mundo globalizado. A filosofia de Paulo Freire aparece como fundamento teórico e metodológico de todo o trabalho desenvolvido.

Através do artigo Paulo Freire na Guiné-Bissau: um olhar sobre a Escola de Formação de Professores Combatentes da Liberdade da Pátria – Centro Máximo Gorki, Antónia Barreto e Clara Carvalho recordam o papel de Paulo Freire na criação dos quatro Centros de Educação Popular Integrada (C.E.P.I) na Guiné-Bissau entre 1977 e 1982, cuja finalidade foi acelerar, através de uma escolarização adaptada à diversidade cultural deste país, o processo de desenvolvimento das comunidades e, através destas, da Nação.

O artigo de Valéria Araújo Sousa, Educação para o Desenvolvimento Sustentável: saberes e fazeres na pré-escola – um olhar freiriano, apresenta uma revisão da obra “Pedagogia da Autonomia – saberes necessários à prática

educativa”, procurando construir uma (re)leitura desta, destacando os saberes essenciais a uma prática pedagógica fortalecedora da Educação para o Desenvolvimento.

Monique Leivas Vargas e Alejandra Boni Aristizábal escrevem o artigo Educación liberadora: opresiones y capacidades para la liberación epistémica en la educación superior e, através dele, exploram a experiência da “Aprendizagem em Ação”, uma inovação educativa que faz parte do currículo do Mestrado em Cooperação para o Desenvolvimento da Universidade Politécnica de Valência (Espanha). Esta iniciativa, que já leva cinco anos de experiência, tem como principal finalidade implementar a perspetiva da educação libertadora, proposta por Paulo Freire.

Segue-se a secção de Práticas, na qual o Programa de Mobilidade Académica Paulo Freire: um desafio ibero-americano, da responsabilidade da Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), é apresentado por Ana Paula Laborinho e Ana Ribeiro Alves.

Procurando valorizar outras linguagens, apresentamos o poema DevCo da autoria de Lucas Novais aka Professor Phil, que nasceu de um olhar crítico sobre o Desenvolvimento. A par do poema, apresentamos Carta a Paulo Freire por Ocasião de seu Centenário ou A Hidra das Sete Cabeças de Tania Ramalho. Juntos compõem a secção Debate.

Na Entrevista poderá ver e ouvir o diálogo entre Jorge Cardoso, José Nunes, Luísa Teotónio Pereira, Miguel Filipe Silva, Oscar Jara e Tania Ramalho, membros do Coletivo Sinérgico Internacional e da Comunidade Sinergias ED. Dois eixos estruturam este espaço de diálogo, ambos à luz da inspiração de Paulo Freire: a relação universidade-sociedade e a relação Europa-África-América Latina.

O Documento-chave apresentado é o relatório Reimagining our futures together: A new social contract for education, da responsabilidade da UNESCO, para o qual a Comunidade Sinergias ED reuniu contributos que emergiram de um espaço de reflexão coletiva facilitado no quadro da iniciativa global Futuros da Educação: Aprender a Transformar-se, que teve como objetivo reexaminar e repensar a maneira como a educação e o conhecimento podem contribuir para o bem comum mundial.

Segue-se a Recensão Crítica, realizada por Teresa Martins, ao filme Prazer Camaradas!, de José Filipe Costa, que nos transporta para processos de educação popular que decorreram em Portugal nos anos 70.

Na secção Publicações Recentes, damos a conhecer nove publicações de diferentes áreas temáticas e formatos: três recursos pedagógicos, um dicionário, duas séries de podcast, uma série de três vídeos animados, uma sistematização de aprendizagens e uma compilação de ensaios escritos e visuais. Estas publicações foram elaboradas por Organizações da Sociedade Civil e Instituições de Ensino Superior.

Ao encerrar este número 13 da Revista Sinergias, contamos com a habitual seção Resumo de Teses onde se divulgam duas dissertações de Mestrado e três de Doutoramento na área da ED/ECG.

Por fim, gostaríamos ainda de partilhar que a Comunidade Sinergias ED, nomeadamente o Grupo de Trabalho Colaborativo dedicado especificamente à Revista, tem vindo a refletir sobre várias questões levantadas nos últimos anos sobre o conhecimento e os seus processos de produção, validação e disseminação. Nesse processo, têm sido identificados diversos pontos de reflexão, dois dos quais originaram mudanças integradas já neste número da revista.

Por um lado, e como poderão verificar, este número da revista integra linguagens pouco presentes em publicações científicas – um poema, uma carta e um vídeo – que, acreditamos, enriquecem a comunicação científica, dando-lhe maior diversidade e promovendo uma maior acessibilidade.

Por outro lado, o processo de Revisão por Pares também sofreu algumas alterações. De acordo com os princípios da Revista, numa perspetiva de Ecologia de Saberes, decidimos convidar duas pessoas para o processo de revisão, vindas de campos de ação distintos – da academia e da sociedade civil –, para uma visão mais complementar. Para além disso, e porque nos assumimos num processo de aprendizagem e de facilitação de aprendizagens, e porque vemos a relevância e o potencial de incluir contribuições de autores e autoras menos experientes na escrita científica, abrimos no processo de revisão uma terceira possibilidade (para além da aceitação e da rejeição): a de propor, para alguns textos, um acompanhamento por “um/a amigo/a crítico/a” na reformulação do texto, para poder vir a ser aceite para publicação.

Este número da revista é, assim, de alguma forma, um pouco experimental…bem ao gosto de Paulo Freire!

[1] Freire, P. (2000) Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP.

[2] Freire, P. (1989) A importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados.

  • Ivaneide Mendes - Freire: O/Um educador social rebelde

  • Andrea Bullivant - From Freire’s Theory to Knowing Practice

  • Giannis S. Efthymiou & Maayke de Vries - Teachers reflecting on teaching global issues: “Because I'm also part of the problem”

  • Antónia Barreto & Clara Carvalho - Paulo Freire na Guiné-Bissau: um olhar sobre a Escola de Formação de Professores Combatentes da Liberdade da Pátria - Centro Máximo Gorki

  • Valéria Araújo Sousa - Educação para o Desenvolvimento Sustentável: saberes e fazeres na pré-escola – um olhar freiriano

  • Monique Leivas Vargas & Alejandra Boni Aristizábal - Educación liberadora: opresiones y capacidades para la liberación epistémica en la educación superior

  • Ana Paula Laborinho & Ana Ribeiro Alves - Programa de Mobilidade Académica Paulo Freire: um desafio ibero-americano

  • Lucas Novais aka Professor Phil - DevCo

  • Tania Ramalho - Carta a Paulo Freire aos 100 anos. Ou: A Hidra das Sete Cabeças

  • Diálogo entre o Coletivo Sinérgico Internacional

  • UNESCO Futures of Education Report 2021 Reimagining our futures together: A new social contract for education

  • Teresa Martins - Filme “Prazer, camaradas!”

  • Navegar pela Cidadania Global

  • Geração 5P – Criamos Mudanças Positivas

  • Dicionário da Invisibilidade

  • Eduquê

  • Investigar e Agir na Escola

  • Intervir em e com escolas – Reflexões e aprendizagens a partir de um projeto de Educação para o Desenvolvimento/Educação para a Cidadania Global em meio escolar

  • Vídeos EDxperimentar – 3 Abordagens Educativas para pensar a aprendizagem e vivência da Cidadania em contexto escolar

  • Caderno MICAR 2021

  • PODxperimentar, um podcast sobre educação e cidadania

  • Katherinne Mihaliuc - Cidadania Planetária como tema transdisciplinar no currículo de formação do Bacharel em Direito

  • Manuela Rodrigues - Ciências Naturais: um caminho para a Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global

  • Helena Lopes - Citizenship and language education. Picturebook: new oppotunities for young teenagers

  • Inês Melo - A educação para a diversidade como caminho para a sensibilização às questões de género: um estudo em aula de inglês no 1º CEB

  • Noelia Cárdaba - La Educación para el Desarrollo y la Ciudadanía Global en Castilla y León: la perspectiva de los equipos directivos y del profesorado en centros educativos rurales

Nome da Revista

“Sinergias – diálogos educativos para a transformação social”.

Propriedade

Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP) e Fundação Gonçalo da Silveira (FGS), no âmbito do projeto Sinergias ED: alargar e aprofundar as relações e aprendizagens colaborativas entre ação e investigação em Educação para o Desenvolvimento, cofinanciado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, apoiado pela Reitoria da Universidade do Porto.

Periodicidade

Semestral.

Grafismo e Paginação

Megaklique e Cláudia Pereira.

Edição

Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP) e Fundação Gonçalo da Silveira (FGS).

Conselho Científico

Alejandra Boni (INGENIO-CSIC, Univ. Politécnica de Valencia.ES), Alexandre Furtado (Fundação para a Educação e Desenvolvimento.GB), Ana Isabel Madeira (Inst. Educação-Univ. de Lisboa.PT), Antónia Barreto (Escola Superior de Educação e Ciências Sociais-Inst. Politécnico de Leiria.PT), Cristina Pires Ferreira (Univ. de Cabo Verde.CV), Dalila P. Coelho (Centro de Investigação e Intervenção Educativas da Univ. do Porto.PT), Douglas Bourn (Inst. of Education-Univ. of London.UK), Elizabeth Challinor (Centro em Rede de Invest. em Antropologia-Univ. do Minho.PT), Filipe Martins (Centro Estudos de Desenv. Humano da Univers. Católica Portuguesa; Rede Inducar), Júlio Santos (Centro de Estudos Africanos da Univ. Porto.PT), Karen Pashby (Univ. of Manchester.UK), Liam Wegimont (Global Education Network Europe), Luísa Teotónio Pereira (Global Education Network Europe), Manuela Mesa (Centro de Educación e Investigación para la Paz.ES), Maria Helena Salema (Inst. Educação-Univ. de Lisboa.PT), Maria José Casa-Nova (Inst. Educação-Univ. do Minho.PT), María Luz Ortega (Univ. Loyola Andalucía.ES), Matt Baillie Smith (Northumbria Univ.UK), Teresa Toldy (Univ. Fernando Pessoa.PT) e Vanessa de Oliveira Andreotti (Univ. of British Columbia.CAN).

Conselho Editorial

Joana Costa, Jorge Cardoso, La Salete Coelho, Marta Uva, Miguel Filipe Silva, Sandra Fernandes e Teresa Martins.

Avaliadores/as do presente número

Alexandre Furtado (Fundação Educação e Desenvolvimento), Alfredo Dias (Escola Superior de Educação do Politécnico de Lisboa e Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa), Dobrawa Aleksiak (University of Warsaw), Gil Pereira (Associação Famalicão em Transição), Inês Barbosa (Instituto de Sociologia da Universidade do Porto), Jorge Cardoso (Fundação Gonçalo da Silveira), Marijke de Koning (Graal), Marta Uva (Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém), Ondina Giga (Helpo), Rui da Silva (Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto), Sara Franch (Centro Studi Erickson) e Silvia Elisabeth Moraes (Universidade Federal do Ceará).

Traduções, revisão gráfica e de textos

Carla Delgado, Carolina Monteiro, Joana Costa, Jorge Cardoso, La Salete Coelho, Marta Uva, Miguel Filipe Silva, Sandra Fernandes e Teresa Martins.

ISSN

ISSN 2183-4687

Revista com arbitragem científica: os artigos são da responsabilidade dos seus Autores e das suas Autoras.

Arquivos de Edições

  • Nº14

    Julho, 2022

    PDF
  • Nº13

    Janeiro, 2022

    PDF
  • Nº12

    Junho, 2021

    PDF
  • Nº11

    Dezembro, 2020

    PDF
  • Edição Comemorativa

    Agosto, 2020

    PDF
  • Nº10

    Junho, 2020

    PDF
  • Nº9

    Outubro, 2019

    PDF
  • Nº8

    Fevereiro, 2019

    PDF
  • Nº7

    Julho, 2018

    PDF
  • Nº6

    Janeiro, 2018

    PDF
  • Nº5

    Junho, 2017

    PDF
  • Nº4

    Outubro, 2016

    PDF
  • Nº3

    Fevereiro, 2016

    PDF
  • Nº2

    Setembro, 2015

    PDF
  • Nº1

    Dezembro, 2014

    PDF