Editorial

É tempo de comemoração! No final da 3.ª edição do projeto Sinergias ED, decorridos oito anos desde que o sonhámos, sete anos de implementação e dez números da revista Sinergias - Diálogos educativos para a transformação social, sentimos que é chegado o tempo de marcar estes momentos com uma edição comemorativa em formato impresso da revista, na qual esteja espelhado o caminho sonhado e percorrido até aqui.

Quando, em janeiro de 2012, o Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP) e a FGS - Fundação Gonçalo da Silveira pensaram sobre a possibilidade de estabelecer uma colaboração estreita entre um Centro de Investigação e uma Organização Não- Governamental para o Desenvolvimento, tendo como pano de fundo a Educação para o Desenvolvimento (para a Cidadania Global ou para a Transformação Social), estávamos ainda longe de prever o papel e o impacto que a presente revista viria a ter.

Uniam-nos, nessa altura, o desejo de um percurso assente em perspetivas partilhadas:

  • Uma VISÃO… a relevância da Educação para o Desenvolvimento/Cidadania Global/Transformação Social no contexto da sociedade atual;
  • Uma NECESSIDADE… o aprofundamento da investigação científica em Educação para o Desenvolvimento (ED) e de uma maior ligação entre o ensino superior e a sociedade civil;
  • Um RECONHECIMENTO… a importância do uso de metodologias alternativas de construção conjunta de conhecimento e de lógicas de reflexão horizontais e colaborativas, para a transformação e credibilização das ações no terreno;
  • Uma ESPERANÇA… a abertura de espaços para a criação de relações de aprendizagem e reforço mútuo das ações das Organizações da Sociedade Civil (OSC) e das Instituições de Ensino Superior (IES);;
  • Uma CRENÇA… a promoção dos valores e da relevância da ED como umsinal de resistência face ao panorama de crise e austeridade reinante e às orientações políticas, económicas e sociais dominantes.

Com a aprovação, em 2013, do projeto Sinergias ED: Conhecer para melhor agir - promoção da investigação sobre a ação em ED em Portugal, para cofinanciamento por parte do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., passámos do tempo de sonhar e de idealizar para o tempo de sonhar e de concretizar.

Fruto de um pensamento e visão amadurecidos ao longo das suas três edições, o projeto Sinergias ED pretende potenciar a ligação entre a investigação e a ação na área da ED em Portugal, criando oportunidades e condições para a ligação entre investigadores e investigadoras e ativistas na coprodução de conhecimento em ED e para a capacitação de atores desta área. Procura-se, assim, contribuir para promover a qualidade da intervenção em ED, objetivo último sem o qual tudo não passaria de um exercício teórico e distante da realidade.

É neste âmbito que se tem desenvolvido esta revista digital, especializada e com revisão por pares. Ao longo de dez números, temos trabalhado para que a revista Sinergiasseja uma plataforma internacional de discussão e reflexão concetual, metodológica e sobre a prática no campo da Educação para a Transformação Social (independentemente das suas diferentes denominações), servindo de veículo de produção e partilha do conhecimento nesta área, quer no contexto nacional, quer noutros contextos dentro e fora da Europa.

Entre 2013 e 2016 teve lugar a 1.ª edição do projeto, durante a qual se publicaram os três primeiros números da revista. Nestes refletiu-se sobre conceitos e novos caminhos de Educação para a Transformação Social; apresentaram-se perspetivas teóricas e práticas emergentes de contextos de educação formal; e foram descritas e debatidas várias formas de colaboração entre Ensino Superior e Sociedade Civil, decorrentes das parcerias estabelecidas no âmbito do próprio projeto. Nesta fase, procurou-se uma aproximação gradual entre o trabalho no terreno das práticas e a comunidade científica nacional e internacional, através da participação alargada de membros das duas áreas na estruturação, redação, edição e divulgação da revista.

Entre 2016 e 2018, decorreu a 2.ª edição do projeto, durante a qual foram lançados quatro números da revista. Nestes, partilharam-se interpelações e aprendizagens decorrentes do anterior ciclo do projeto; exploraram-se as distâncias, proximidades e complementaridades entre a ED e a Cooperação para o Desenvolvimento; discutiu-se a relação entre Ensino Superior e Comunidade(s) envolvente(s), colocando a tónica na discussão sobre o terceiro pilar do Ensino Superior (a par com a docência e a investigação), a denominada “extensão universitária”; e abriram-se de novo as portas do projeto, propondo um conjunto de partilhas de aprendizagens, elaborado pelos grupos colaborativos participantes na 2.ª edição do Sinergias ED. Nesta edição, foi visível, entre outros resultados, um fortalecimento das relações entre as IES e as OSC envolvidas no projeto, em torno de preocupações comuns, como a Colaboração e o Conhecimento.

A 3.ª edição do projeto, que agora termina, decorreu entre 2018 e 2020. Esta última edição centrou-se na dinamização de uma Comunidade de ED, que se foi constituindo nos anteriores ciclos do projeto, e que pretende ser a semente de uma maior consolidação do diálogo entre investigação e ação em ED em Portugal. Durante este período, publicaram-se três números da revista, tendo sido apresentadas contribuições de autoras e autores com ligação às atividades do Sinergias ED e refletindo sobre os conhecimentos, práticas e aprendizagens essenciais para o exercício da Democracia e da Cidadania. Chegados/as ao décimo número da revista foi possível cumprir a vontade de estreitar os laços com revistas internacionais, através da edição de um número em colaboração com a Revista de Fomento Social, de Espanha, no contexto do projeto Bridge 47. Para além do foco nas aprendizagens e desafios para a colaboração entre atores, no âmbito da Agenda 2030, procurou-se refletir sobre os desafios provocados pela situação pandémica que vivemos.

Todos os números editados no âmbito do projeto Sinergias ED são resultado de processos reflexivos questionadores que, invariavelmente, originam vários momentos críticos. Estes momentos têm a vantagem de conter em si fatores geradores de aprendizagem lançados à equipa do projeto. Temáticas e questões estruturais foram sendo debatidas, levado a algumas ideias que nos parece importante reter: i) que as aprendizagens mais significativas nem sempre estão expressas nos resultados finais, mas acontecem exatamente no diálogo entre processos e produtos; ii) que a revista é um espelho da diversidade (de atores, de metodologias, de formatos, de pensamentos…) que o projeto abraça e que estes processos vão moldando a revista de número para número; iii) que a revista é um espaço de reflexão sobre alternativas que importam aos campos da ED, da Cidadania Global e da Transformação Social, que se impõe numa atualidade onde os desafios políticos, económicos e sociais são prementes; iv) que um dos traços de identidade da revista é a sua afirmação pela diferença num contexto de cada vez maior mercantilização do conhecimento, subordinado às lógicas de poder dominantes; e v) que neste processo colaborativo se foram lançando pequenos fios do que pode ser uma teia maior de uma Comunidade ligada à ED e para a Transformação Social.

Todos estes motivos impeliram-nos a querer levar à estampa este número comemorativo da revista Sinergias - Diálogos educativos para a transformação social. Com este número especial desejamos celebrar um conjunto de traços de identidade que ajudam a definir quer a Revista quer a Comunidade que se foi construindo paralelamente e que tem, também, contribuído para a história da nossa revista. Procuramos, assim, reunir textos que captam essa identidade, pautada pela educação, inovação, diversidade, liberdade, colaboração e transformação.

Num processo coerente com o próprio projeto, a seleção dos textos que em seguida se apresenta teve por base, numa primeira etapa, um processo de auscultação alargada à Comunidade Sinergias e, numa segunda etapa, momentos de discussão entre os elementos que se voluntariaram para compor o Conselho Editorial do presente número. Este grupo procurou, através deste número, tirar “o retrato” do que tem sido a revista Sinergias: uma publicação com diversidade de línguas, temas e tipos de texto, que valoriza a natureza colaborativa e transformadora (e até provocadora) das contribuições.

Este número especial da revista Sinergias abre com uma reflexão sobre o próprio projeto, no artigo Sinergias ED - Uma experiência-piloto de construção colaborativa de conhecimento (N.º 7, julho de 2018), da autoria de La Salete Coelho, onde é apresentada parte da originalidade do projeto Sinergias ED, emergente de um processo de co-construção. Segue-se uma perspetiva concetual e histórica de ED, dos seus desafios e potencialidades, no diálogo com Liam Wegimont (N.º 3, fevereiro de 2016), conduzido por Tânia Neves e Sara Peres Dias.

Passando para a apresentação de novos mundos e sistemas possíveis, sucedem-se dois artigos de fundo: o artigo Sinalizando rumo a futuros decoloniais: Observações pedagógicas e de pesquisa de campo (N.º 9, outubro de 2019), redigido por um coletivo de autoras e autores, integrado por Vanessa Andreotti, Sharon Stein, Dino Siwek, Camilla Cardoso, Tereza Caikova, Ubiracy Pataxó, Benicio Pitaguary, Rosa Pitaguary, Ninawa Huni Kui e Elwood Jimmy, no qual são partilhadas aprendizagens de colaboração para a descolonização e construção de outros "mundos possíveis"; e o artigo Dilemas y desafíos de una educación para la transformación - Algunas aproximaciones Freirianas (N.º 4, outubro de 2016), da autoria de Oscar Jara H., onde é enfatizada a ideia de que a Educação para a Transformação tem como pedra basilar a metamorfose do próprio agente de transformação nesse processo. O texto seguinte, The Sustainable Development Goals are toothless in the face of neoliberalism: We need to pursue a new path to equality (N.º 4, outubro de 2016), integra-se no debate sobre a Agenda 2030, com Stephen McCloskey a lançar um olhar crítico sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Movemos, seguidamente, o olhar crítico da ED para a área da Cooperação para o Desenvolvimento. No artigo (Re)politizando la solidaridad internacional: Pensando la cooperación como educación para una ciudadanía global radical (N.º 5, junho de 2017), Sergio Belda-Miquel e Alejandra Boni Aristizábal pensam a Cooperação Internacional enquanto terreno fértil para o desenvolvimento de processos de Educação para a Cidadania Global Radical. No diálogo com Augusta Henriques, promovido por Stéphane Laurent (N.º 5, junho de 2017), ficamos a conhecer o percurso trilhado pela Organização Não-Governamental guineense Tiniguena procurando aliar as vertentes da ED e da cidadania na sua intervenção, nos quais o pensamento crítico e o debate intenso sobre os novos colonialismos esteve sempre presente. Momodou Sallah, no seu texto A scholar-activist’s heretic attempts to “eradicate poverty” from a southern perspective, through disruptive Global Youth Work (N.º 10, julho de 2020), instiga-nos a encarar, olhos nos olhos, o lado obscuro do Voluntariado Juvenil Internacional, para, a partir daí, vislumbrar e construir pontes entre academia e ativismo.

E refletindo sobre o papel do Ensino Superior, visitamos o artigo El rol de la universidad en el proceso de Educación para el Desarrollo: Un análisis comparado de sus documentos estratégicos (N.º 2, setembro de 2015), da autoria de M.ª Luz Ortega Carpio, Antonio Sianes e M.ª Rosa Cordón Pedregosa. Neste artigo, é examinado o espaço que a ED encontra no Ensino Superior e em que medida este se abre à Comunidade, para a resolução de desafios sociais que nos concernem a todas e todos. Esta temática é, ainda, refletida no diálogo entre Albertina Raposo, Filipe Martins, Teresa Gonçalves e Teresa Martins (N.º 6, janeiro de 2018), membros da Comunidade Sinergias.

Encerramos este número comemorativo regressando à casa de partida, com um diálogo com Luísa Teotónio Pereira, dinamizado por Júlio Santos (N.º 1, dezembro de 2014), onde se revisita o conceito, história e prática de ED, desta feita no quadro concreto do panorama português, e com o Documento de Posicionamento do Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP),na sua versão em inglês, realizado no âmbito do projeto, no qual o grupo de investigação em Educação, Desenvolvimento e Cidadania Global deste centro se posiciona face ao papel da Educação para o Desenvolvimento no mundo atual e no Ensino Superior.

Sendo este um número de comemoração é também um número de agradecimento. Um primeiro agradecimento é devido aos leitores e leitoras (o sentido e o sentir da revista) e aos autores e autoras que publicaram o seu trabalho na Sinergias. Mas queremos também agradecer a tantas outras pessoas que têm contribuído para que a revista aconteça e seja o que é: elementos que passaram pela equipa do projeto Sinergias ED, os membros do Conselho Científico, os membros convidados e voluntários dos vários Conselhos Editoriais, revisores/as, entrevistadores/as e entrevistados/as, transcritores/as, tradutores/as, paginadores/as, designers, entre outros. Afortunadamente, são demasiadas para que as possamos nomear individualmente, no entanto, prestamos-lhes aqui a devida homenagem e agradecimento por contribuírem para a revista com a sua energia cognitiva e afetiva, em mais esta expressão de sinergia que nos move a todas e a todos.

Uma palavra ainda para as entidades que financiaram os vários números desta revista, em particular o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., pela confiança depositada no potencial da revista Sinergias e pela decisão de contribuir com os meios necessários para que esta ideia se transformasse numa prática.

Esperamos que este número comemorativo se transforme numa janela aberta à (re)descoberta da revista Sinergias, convidando à reflexão, discussão e transformação.